20120630

Uma no cravo, outra na ferradura

“As dificuldades não se resolvem com mais aulas” 
"Para o psiquiatra [Daniel Sampaio], aumentar o tempo de aulas vai criar sentimentos de injustiça nos alunos. (...)

Olhando ao que têm sido as medidas mais recentes, de aumento do número de exames e de tempos de aulas, não me parece que esta seja uma boa linha para a resolução dos problemas. Mas, também, as medidas ainda são muito recentes. Vamos esperar para ver como funcionam."
Fonte: Diário de Noticias

5 comentários:

Isabel Branco Pires disse...

Não há melhor maneira de fazer um "diferente" que é dizer a alguém, sempre que é "diferente", então se o tratarmos como "diferente". fica um imbecil irremediávelmente revoltado...

Moriae disse...

E diferente! ;)

Armando Nina disse...

É por causa destes que possivelmente me terei transformado num imbecil irremediavelmente revoltado...?

Moriae disse...

É de facto uma dose forte de ambivalência, já para não referir a bipolaridade de que tanto gostam os portugueses. Bom para o negócio 'médico'.

Seremos dois, Armando!

Alergia disse...

Mas há os que se julgam "diferentes" especiais e centros do mundo, mas no fundo acabam por serem apenas imbecis, como diz bem a Isabel.
Revoltados só os que têm algo com que se revoltar(quando sempre foram apaparicados), pois ao serem tratados como "especiais e diferentes" , mas a seguir sendo falsos e troca-tintas, apenas se tornam motivo para a revolta... dos outros.
No fundo até não passam de entes protegidos e que não aguentam as mínimas frustrações pois nunca enfrentaram um "Não" dos educadores e arranjara ao longo das tristes vidas mil e um pretextos para serem mimados e olhados com complacência pelos demais e destes se aproveitarem.
Em suma, nada de "bipolaridade" associada a pessoas até bem inteligentes, mas outras coisa bem piores, estúpidas e inumanas.
Há textos interessantes sobre o assunto.