20111031

A entrevista | Reacções e reacções (em actualização)

Contexto

"(...) Em apenas dois anos (2011 e 2012), os professores perderão, em média, 30% de salário real e os aposentados perderão, também em média, cerca de 25% das suas pensões reais. Isto sem contar com o que ficará retido pelo aumento dos impostos!

A Educação, depois de um corte de 803 Milhões de euros em 2011, terá um novo corte, em 2012, que atingirá os 1.500 Milhões de euros, se tivermos em conta tudo o que significa despesa no setor, sendo, de todos, o mais furiosamente atingido. Por essa razão, o peso da Educação no PIB passará de 4,7% para 3,8% e Portugal irá ocupar o último lugar dos 27 da União Europeia (a título de exemplo, a OCDE propõe 6%, no Brasil reclamam-se 10%).

Para além dos cortes salariais e da eliminação dos subsídios, esta redução resultará de medidas deliberadamente tomadas para provocarem desemprego. São disso exemplo, as alterações curriculares, onde o governo prevê “arrecadar” 102 Milhões (a eliminação do par pedagógico na EVT orçava em 43 Milhões, portanto, agora, para além desses docentes, contabilizam-se muitos milhares de outros…), os novos encerramentos e mega-agrupamentos que “renderão”, ao orçamento, 54 Milhões e outras medidas, tais como o aumento do número de alunos por turma, a extinção de cerca de 2/3 dos CEF ou a extinção de projetos de promoção do sucesso e combate ao abandono que irão “valer” 101 Milhões… tudo isto quase só em postos de trabalho, o que significa a eliminação de praticamente todos os contratos e a passagem de muitos milhares de docentes dos quadros para situações de instabilidade, incluindo a mobilidade especial. Se isto acontecer, ao fim de dois meses já o salário terá sido reduzido para 2/3 e ao fim de um ano para metade. Depois evoluirá até à perda total.(...)" (Mário Nogueira)
Fonte: SPRC

A Entrevista

Resumos



    Reacções

      Frases

      Mário Nogueira:
      "A maioria dos alunos já sabe ler e escrever no 9º, se calhar devia-se acabar com o Português", ironiza Mário Nogueira (CM)

        Nuno Crato:
        No 9.º ano “a maioria dos jovens já domina os computadores perfeitamente e é questionável que seja necessário ter uma disciplina de TIC”, justifica Nuno Crato. (Público)

        'Ilustração'

        4 comentários:

        luiz carvalho disse...

        fiquei perplexo com o tempo e o modo desta entrevista... é só uma questão de agenda... política? mediática?

        novidades...nenhumas [ou poucas, expectáveis]!
        expectativas... poucas [ou nenhumas, seria mais correcto]!

        cortes... para baixo é que é o caminho!

        cheira mais a teste da opinião pública que a 'esclarecimento' do que vai pelas cabecinhas pensantes do ministério... déja vu!

        eu vou esperar sentado para 'ler' os documentos que irão ser produzidos sobre a 'coisa'...

        Moriae disse...

        Concordo contigo. Mais parece um teste, atrevo-me a dizer concertado, da opinião pública. Foi um monte de citações etc entre muitos jornais e sites informativos. Na TV o mesmo. Radio não ouvi, mas tb devem ter andado nos debates e auscultações.
        Em suma, as manhas existem e estão muito bem articuladas. E isso impressiona ...

        Notei que se falou mais das TIC e menos da História e Geografia e EVT's. Tb achei que era golpe mediático para deitar cinza para os olhos.

        A saga continua, Luiz!

        Moriae disse...

        Leia-se 'Mais parece um teste, atrevo-me a dizer concertado, à opinião pública.'

        Moriae disse...

        Exemplo:

        http://youtu.be/flDySkxA9zw