20111105

Os Perigos da Rede


Um dos posts que me ecanitou, aqui no Democrato, foi este, em que se ironizava a questão de as TIC salvarem vidas. Neste admirável mundo novo, muitos cidadãos não têm a noção do que está por trás dos aparelhos que utilizam diariamente.

Os informáticos partilham a máxima "whatever you do online, stays online". Independentemente da infelicidade semântica da petição, um formação para a utilização das TI, pode, de facto, salvar vidas. Muitos não fazem ideia que os modernos telemóveis e máquinas fotográficas possuem GPS integrado que permite a geolocalização. Quando a adolescente, qual ninfeta, no aconchego do seu quarto, tira uma fotografia e a publica numa rede social (*) ou a envia por mail, pode estar a  fornecer a latitude e longitude em que a imagem foi capturada. Qualquer pedófilo ou tarado minimamente informado, será capaz de com uma falha de 20 metros saber onde a foto foi tirada.

Os casos de roubo de identidade digital começam a ser cada vez mais frequentes. O famoso cyberbullying é uma realidade que já levou muitos adolescentes ao suicídio. Para além dos conhecimentos básicos de TI, é necessário informar os jovens de todos os perigos a que estão sujeitos na utilização de telemóveis, máquinas fotográficas, internet e redes sociais. E isso compete aos professores de TIC. Se esta informação, de alguma forma, evitar um estupro, não estaremos nós a salvar uma vida?

(*) correcção efectuada após observação pertinente do Paulo Izidoro. Obrigado!

16 comentários:

Moriae disse...

Sem palavras por aqui e agora mas uma coisa é certa, vale a pena persistir e tentar encontrar saídas para as questões que nos preocupam, que mexem connosco.
Muito obrigada, Fernando! E, já sabes que ... 'não te cales'!!! : )
Abraço!

luiz carvalho disse...

lendo por aí...

Tudo começa com sonhos.
Sonhos teimosos.
Agora, devagarinho, entramos cada vez mais nas salas de aula, com a ajuda dos professores que se vão rendendo à alegria de ver os seus alunos criar, produzir, pensar, refletir, crescer através do uso de tecnologias entrelaçadas com humanos gestos, humana mediação e usadas ao serviço da invenção, da produção de conteúdos.

aqui: http://tempodeteia.blogspot.com/2011/11/semear-crescer-ramificar-depois-secar.html

Paulo Izidoro disse...

O artigo está quase todo certo exceto em duas coisas: a imagem utilizada e a referência ao Facebook.
Como o texto é escrito por professor de informática convinha então ser mais rigoroso em termos técnicos.
As fotos carregadas para o facebook NÃO guardam os dados de EXIF, nomeadamente os dados de geolocalização. Isso acontece porque o facebook não recebe efetivamente a imagem original mas uma cópia que foi compactada no nosso computador no momento do envio.
O que até é pena pois assim também não se guardam os dados de legenda, copyright, datas em que foi tirada, etc, o que é útil aos fotógrafos que aí as colocam!
Notem que ao enviar a imagem os dados de legenda e autor da legenda são colocados como texto de legenda na publicação facebook, mas no download dessa mesma imagem nem isso lá ficou guardado!).
Isto acontece nas imagens enviadas para o mural ou para um álbum, seja em baixa ou alta qualidade (a compactação dos três processos é diferente mas o resultado do EXIF é o mesmo).

De resto a substância do artigo é válida.
Convém é não usar uma rede que tem essa parte coberta para evitar que alguém depois diga: é falso, no facebook isso não acontece pelo que será sempre falso.
Assim o artigo devia ser mais genérico e não colocar o facebook como exemplo mas dar precisamente essa nota de exceção!

Moriae disse...

De onde tirou a ideia de que o autor deste excelente texto é professor de informática?

Fernando Lopes disse...

Caro Luís,

Tem toda a razão. O facebook foi usado a título de exemplo. A metainformação é utilizada noutros softwares. Obrigado pelo seu contributo. A foto é apenas exemplo, de roubo de identidade digital ou do cyberbulling.

Obrigado e um abraço,
FL

Fernando Lopes disse...

Acresce q não sou professor de TI, nem tenho formação académica na área, trabalho com BD, daí peço que releve qualquer imprecisão técnica. A ideia é apenas alertar.

Cumps,
FL

Moriae disse...

E és de uma simplicidade extraordinária, Fernando! Ao contrário de alguns arrogantes que pensam que falam num plano superior.
Pelo que sei, és especialista nestas questões e o lapso dos dados da foto, é um mero pormenor. Um pormenor num exemplo.
Abraço!

Paulo Izidoro disse...

Da leitura do artigo e das referências aos "professores de TIC" assumi que era essa a sua ocupação mas não o assumi maldosamente (nem seria ofensivo!). Não o sendo fica a correção e as minhas desculpas se necessário for.

Se alguém viu arrogância no que escrevi está errado e pelço que releia o que escrevi e nem vejo motivo para isso aparecer à baila. Fiz uma correção ao artigo com algo que sabia antes e até fui confirmar com um teste para saber se isso se mantinha assim.
Ao corrigir pretendi apenas que o artigo ficasse mais correto pois um erro pode impedir que uma mensagem passe corretamente (tal como tentei explicar no próprio comentário).

Para que fique claro, o meu comentário nem precisa de estar publicado! Note-se que o comentário nem é publicado automaticamente, pelo que o autor do blogue podia pura e simplesmente utilizar a correção e quando muito mandar reposta por email que não ficava nada incomodado!

Fica este caso como exemplo de como um comentário a um conteúdo de um artigo se passa para a análise das pessoas que colocam os comentários! Realmente neste mundo online parece que as pessoas perdem a calma mais rapidamente e se tornam intolerantes a opiniões dos outros. Fiquem bem!

Moriae disse...

Paulo Izidoro,

se fossemos intolerantes às suas opiniões, não as publicaríamos pelo que não tem razão. Quanto a arrogância, mantenho o que disse. Falei de um modo abrangente mas o que disse foi realmente inspirado pelo seu comentário.

Os comentários são moderados porque a isso fomos obrigados. Ou pelo menos, sentimos essa necessidade. É de lamentar, é sim senhor.

Boa tarde

Moriae disse...

E já agora, se o seu objectivo era "apenas que o artigo ficasse mais correto", porque não enviar um e-mail e deixar-se de considerações sobre o autor do post ser ou não professor de informática?

Bom, não vale a pena desenvolver estas questões.

Paz ... E comente sempre, apareça qdo quiser. Já vi os seus blogues e ... parabéns pelo seu trabalho.

Bom final de Domingo.

Paulo Izidoro disse...

Pronto, cada qual com a sua.
Acha que fui arrogante, é o seu direito de opinião. Já esclareci a minha intenção.

Nada contra a moderação das mensagens!
No envio houve um erro meu pois quando comento apenas para corrigir algo adiciono que não precisam publicar e neste caso não o fiz.
Prefiro isso ao email pois quem tem de moderar os comentários fica logo com o link do email (e no blogger está logo no artigo).

Note-se que não disse algo como "sendo professor de informática não pode dizer uma coisa destas..." mas sim "sendo um blogue de um professor de informática as pessoas vão dar mais crédito ao que é dito sobre o tema pelo que... )

Mais uma vez as desculpas por ter achado que alguém era professor de informática pois pelos vistos isso foi ofensivo.

Mas é assim a vida!

Moriae disse...

Paulo,

muito obrigada pelo seu cuidado e explicação. Realmente, tanto na blogosfera como na vida 'real' (suponho), andamos, muitos de nós, com os nervos à flor da pele. E por isso, peço-lhe que me desculpe.

Um abraço,
M.

Fernando Lopes disse...

Caro Paulo,

Desculpe pela troca de nomes. Agora sim num PC, que isto de IPhones é muito bonito mas não dá para escrever, quero agradecer a sua correcção, a qual só enriquece a posta. Não me sinto nada ofendido, bem pelo contrário. Devo confessar que sendo a minha áreas as BDs me falta expertise nesta.

Um abraço,
FL

Moriae disse...

Recomendo (não por ser fã do MRS) mas porque tem a ver com o fim das TIC vs 9º ano.

http://youtu.be/HJGfvUrNxyk

É curtinho

Fernando Lopes disse...

O gajo até fala para o ministro.

- Ó Carto, queres acabar com as TIC para os putos? Olha que é má ideia!

- Ó Marcelo, nada disso. Eu gosto é de mandar uns bitaites para testar os opinion makers.

Moriae disse...

Fernando,

já não há pachorra para esta gente ...

Abraço!